Já rimos como alguém se ri numa vida inteira

IMG_5555Não começou ontem. Foi noutra vida.
Mas nesta já dancei contigo ao sabor do vento.
Não te conheci ontem. Foi há muitas vidas.
Mas já rimos como alguém se ri numa vida inteira.
Não foi por balançarmos ontem, sempre sentimos o balanço.
Mas já sentimos a China balançar, mesmo à nossa beira.
O nosso coração não pula desde ontem. Sempre cantou uma canção.
Mas já temos tantas. Só nossas. Uma bênção.
As pontes não são de hoje. Sempre lá estiveram.
Mas se os ventos as levam, encontramo-las de novo.
Com a força de Deus, que se arrasta a um povo.
E tudo recomeça. Com o teu sorriso. Com o teu abraço.
Desde que nasce o dia, até ao seu cansaço.

in «Crónicas de um Amor por uma Princesa», Duarte Nuno Braga